Por uma Criação Responsável

Nabuco’s Carmen Miranda e sua única ninhada (só amamentava se alguém ficasse ao lado dela). Note como a fêmea arfa enquanto amamenta. É preciso mantê-la em lugar fresco.

Suponhamos que você nunca tenha tido um pug e que pretenda iniciar um canil. Como sugestão, convido você a visitar nosso site www.nabucopugs.com e ler o item SOBRE O PUG. Lá você vai tomar conhecimento de considerações importantes sobre essa raça tão particular, de saúde delicada e que exige manejo específico.
O conhecimento da raça só se consegue com a experiência. Recomendamos que você comece devagar, para ir aprendendo aos poucos e ver se é isso mesmo que você deseja.

Comece abrindo uma poupança e, sem pressa, pesquise bastante para conseguir uma filhota de boa estrutura e boa linhagem. Espere por ela. Nada é garantido, pois você estará comprando uma promessa, mas mesmo assim não economize nessa hora. Ela será sua pet, terá o seu carinho e não deverá viver em canil.

Somente no terceiro cio ela estará pronta para a reprodução. Para a cruza (geralmente por inseminação artificial), selecione um macho excelente, de um canil responsável e pedigree compativel, e leve-a onde ele estiver, para cruzar pelo menos 3 vezes em dias distintos.

Só quando a ninhada chegar é que você vai saber se desejará repetir a experiência de ter lindos puguinhos em sua casa. A sua pug muito provavelmente não estará nem aí para eles, seja para amamentá-los ou limpá-los (ela quer é ficar com você!). Portanto há 90% de chance de você passar os 45 primeiros dias e noites colocando os babies para mamar a cada 2 ou 3 horas, limpando e mantendo a ninhada aquecida. Só então você vai aprender com as complicações do parto, com as grandes chances de cesareana, vai lidar com mortalidade de filhotes (que aumenta muito quando a gente não sabe o que fazer para evitar), e vai chorar pra caramba quando isso acontecer. Você também vai ensiná-los pacientemente a comer a papinha.

Dois meses depois (e nunca antes) é que você vai tentar desesperadamente conseguir donos responsáveis, amorosos e com condição financeira para comprar aqueles filhotes tão sensíveis, e que você já ama demais por ter passado tanto tempo cuidando deles.

Independente das ninhadas, você vai ter que proporcionar ao(s) pug(s) do seu canil uma vida de convívio com os humanos, para ter pugs felizes e consequentemente saudáveis. É uma raça extremamente dependente da companhia e do carinho humanos, senão eles adoecem (mesmo!!!).

Se você for digno do amor incondicional de seu pug por você, vai cuidar dele até o final da vida. Se você for esse dono responsável, só com o tempo vai perceber que o seu retorno financeiro não aconteceu, porque você terá arcado com a velhice dele(s), que é cara, pois eles têm ainda mais complicações quando ficam velhos. O investimento é alto para se proporcionar a um pug tudo que ele precisa e deve receber para viver saudável, reproduzir e envelhecer de forma digna.

Se depois de tudo isso você ainda estiver disposto a seguir criando pugs, você estará diagnosticado com uma patologia específica, ainda não relatada nos anais da medicina humana: uma espécie de doce loucura causada pela hipnose que os pugs exercem sobre seus criadores, pelo seu grande poder de fascínio.

Desejo boa sorte a você!